Vermifugação

Vermifugação
Dezembro 8, 2011 AlexKB

Vermifugação

IMPORTÂNCIA

O controle de parasitas intestinais (vermes e protozoários) é um dos cuidados mais importantes do programa preventivo de saúde de um cãozinho, pois uma infestação severa pode levá-lo a morte em poucas semanas. Vermifugando-o corretamente contra os parasitas internos (endoparasitas) mais freqüentes, você estará preservando não só a saúde dele como de toda sua família, pois vários desses parasitas são transmissíveis aos seres humanos(zoonoses) – ex.: larva migrans cutânea, larva migrans visceral, vermes intestinais, giardia, etc.

SINTOMAS

Vômitos freqüentes;
Atraso no crescimento;
Má condição de pelagem;
Sinais de abatimento e enfraquecimento;
Espirros com eliminação discreta de catarro;
Cólicas e diarréias freqüentes, geralmente com muco e/ou sangue;
Volume da barriga aumentado contrastando com o resto do corpo franzino.

EXAME DE FEZES

Antes de vermifugá-lo é recomendável realizar um exame de fezes com um profissional para detectar se o animal realmente apresenta verminose e quais espécies o estão parasitando.

Esse mesmo exame é indispensável para a detecção e controle de protozoários, pois esses parasitas microscópicos produzem sintomatologia semelhante ao dos vermes, mas não são eliminados por vermífugos de amplo espectro.

CRONOGRAMA

Um programa de vermifugação simplificado para filhotes pode ser realizado da seguinte maneira:

1ª DOSE: Vermífugo de amplo espectro com 3 semanas de idade;

2ª DOSE: Vermífugo de amplo espectro com 6 semanas de idade;

3ª DOSE: Vermífugo de amplo espectro com 3 meses de idade;

4ª DOSE: Vermífugo de amplo espectro com 5 meses de idade.

PREVENÇÃO

Realize exames parasitológicos regulares;
Mantenha todos os cuidados higiênicos em dia;
Remova o mais rápido possível as fezes eliminadas nos canis, pátios, ruas e jardins;
Mantenha os animais em pisos concretados para que a higiene e limpeza sejam eficientes, eliminando assim locais propícios para uma reinfestação;
Combata animais como camundongos, ratos, pulgas, baratas, pombos … que podem desempenhar papel de hospedeiro intermediário e/ou acidental para alguns tipos de parasitas.

ANIMAIS ADULTOS

A vermifugação deve ser realizada semestralmente. Dependendo da possibilidade do animal adquirir vermes como contato freqüente com fezes de outros animais, matéria orgânica ou solo contaminado, recomendamos uma vermifugação mais freqüente e exames de fezes periódicos para a detecção e controle de protozoários.

De qualquer maneira, sempre peça orientação a um médico veterinário para determinar o tipo, a freqüência e a dosagem de vermífugo a ser administrado em cada fase da vida do animal.

PRINCIPAIS ENDOPARASITAS

TOXOCARA CANIS

Toxocara Canis

Verme grande de coloração esbranquiçada e corpo cilíndrico, podendo medir até 20 cm.

As principais vias de infecção são: ingestão de ovos ou larvas infectantes eliminados nas fezes de animais parasitados (via direta); passagem de larvas aos fetos através da circulação com a cadela gestante (via transplacentária); ingestão de larvas pelos recém-nascidos através do colostro (via transmamária).

No cão (hospedeiro definitivo) pode ser localizado na faringe, pulmões, fígado, rins e principalmente no intestino delgado, onde alimenta-se da massa homogênea
resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo).

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

É uma zoonose, pois o homem pode ser um hospedeiro acidental e desenvolver a larva migrans visceral se ingerir larvas infectantes.

TRICHURIS VULPIS

Trichuris Vulpis

Verme de coloração esbranquiçada e corpo cilíndrico, podendo medir até 7 cm.

A principal via de infecção é a ingestão de ovos ou larvas infectantes eliminados nas fezes de animais parasitados (via direta).

No cão (hospedeiro definitivo) pode ser localizado no intestino grosso, onde alimenta-se da massa homogênea resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo).

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

ANCYLOSTOMA CANINUM

Ancylostoma Caninum

Verme pequeno de coloração avermelhada e corpo cilíndrico, podendo medir até 2 cm.

As principais vias de infecção são: ingestão de larvas infectantes eliminados nas fezes de animais parasitados (via direta); penetração ativa das larvas diretamente na pele (via percutânea); passagem de larvas aos fetos através da circulação com a cadela gestante (via transplacentária); ingestão de larvas pelos recém-nascidos através do colostro (via transmamária).

No cão (hospedeiro definitivo), pode ser localizado nos músculos, traquéia, esôfago, estômago e principalmente no intestino delgado, onde alimenta-se de sangue.

Parasita o animal sugando sangue, impedindo a absorção de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

É uma zoonose, pois o homem pode ser um hospedeiro acidental e desenvolver a larva migrans cutânea (bicho geográfico) se larvas infectantes penetrarem ativamente em sua pele.

DIPYLIDIUM CANINUM

Dipylidium Caninum

Verme grande de coloração esbranquiçada e aspecto de uma fita segmentada, podendo medir até 60 cm.

A principal via de infecção é através da ingestão do hospedeiro intermediário (pulgas) infectado com larvas cisticercóides.

No cão (hospedeiro definitivo) localiza-se principalmente no intestino delgado, alimentando-se da massa homogênea resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo). No hospedeiro intermediário (pulgas) localiza-se no sistema digestivo.

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

É uma zoonose, pois o homem pode ser um hospedeiro acidental e desenvolver a doença com sintomatologia similar se ingerir larvas cisticercóides.

TAENIA PISIFORMIS

Taenia Pisiformi

Verme grande de coloração esbranquiçada e aspecto de uma fita segmentada, podendo medir até 50 cm. A principal via de infecção é através da ingestão do hospedeiro intermediário (roedores) infectado com larvas cisticercóides.

No cão (hospedeiro definitivo), localiza-se principalmente no intestino delgado, alimentando-se da massa homogênea resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo). No hospedeiro intermediário (roedores) localiza-se nos músculos e no sistema digestivo.

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

É uma zoonose, pois o homem pode ser um hospedeiro acidental e desenvolver a doença com sintomatologia similar se ingerir larvas cisticercóides.

GIARDIA CANIS

Giardia Canis

Protozoário de dimensões microscópicas, formato piriforme, dois núcleos e simetria bilateral.

A principal via de infecção é através da ingestão de alimento ou água contendo cistos.

No cão (hospedeiro definitivo), localiza-se principalmente no intestino delgado, alimentando-se da massa homogênea resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo).

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

É uma zoonose, pois o homem pode ser um hospedeiro acidental e desenvolver a doença com sintomatologia similar se ingerir cistos.

ISOSPORA CANIS

Isospora Canis

Protozoário de dimensões microscópicas, formato ovalado, vários esporozoítos e simetria radial.

As principais vias de infecção são: ingestão de alimentos ou água contendo oocistos esporulados ou ingestão de hospedeiros paratênicos contaminados (ratos e camundongos).

No cão (hospedeiro definitivo) e nos hospedeiros paratênicos (ratos e camundongos), localiza-se principalmente no final do intestino delgado e em todo o intestino grosso, alimentando-se da massa homogênea resultante da digestão gástrica dos alimentos (quimo).

Parasita o animal roubando e impedindo a absorção correta de nutrientes e atrapalhando o trânsito intestinal.

O Planeta dos filhotes trabalha apenas com vermífugos de primeira linha , garantindo assim que seu filhote esteja livre de vermes, giárdia e isosporas.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*