Seleção Genética

Seleção Genética
Dezembro 9, 2011 AlexKB

Dna

Em primeiro lugar, antes de qualquer acasalamento, o macho e a fêmea precisam passar por vários testes de saúde física e temperamento, sempre analisados por exames em laboratórios especializados e também com técnicos de cinofilia e veterinários pra que se consiga o melhor resultado genético no cruzamento.

No planejamento e cuidado para diminuir ao máximo as várias doenças genéticas que afetam os cães, trabalhamos também com algumas empresas fora do Brasil, que são especializadas em detecção de doenças genéticas.

O procedimento se chama pesquisa genética canina. Isso funciona da seguinte maneira:

Todos nós sabemos que todas as raças possuem algum tipo de propensão a algum tipo de doença genética.

Algumas empresas (fora do Brasil), tem marcado no DNA daquela raça o gene para aquela doença.

Nossos veterinários coletam aqui no Brasil amostra de  sangue dos cães e enviam para o laboratório no Canadá.

O material da amostra é analisado e identificado com um código de barras que permite o rastreamento para aquela doença, naquela raça, para aquele animal.

De posse desse resultado, que é recebido por e mail, o criador tem condições de saber qual a probabilidade daquele animal gerar filhotes com algum tipo de doença genética.

Além disso, em alguns casos é possível saber identificar a probabilidade das cores dos filhotes que aquele animal trará em seus cruzamentos.

Dessa maneira conseguimos iniciar um controle melhor no cruzamento a se realizado.

EXEMPLO: Interpretação de resultados para doenças autossômicas recessivas.

Masculino normal Masculino portador Masculino afetado
Feminino normal 100% não carregam o gene 50% normais50% carregam o gene 100% Transportadora
Feminino portadora 50% normais50% carregam o gene 25% normais50% carregam o gene25% doença 50% carregam o gene50% doença
Feminino afetada 100 carregam o gene 50% carregam o gene50% doença 100% Afetadas

Cruzamento ideal – nenhum filhote nascerá com a doença e nenhum filhote nascerá com o gene para a doença. Portanto a doença não aparecerá nas próximas gerações.

Criação segura – nenhum filhote nascerá afetado. No entanto, alguns filhotes serão normais e sem o gene para a doença e outra parte dos filhotes serão normais, mas serão portadores do gene para a doença. Assim, recomenda-se que os cães que carregam o gene, que são desejáveis para a reprodução sejam criados com cães normais no futuro, para que se tenha filhotes apenas portadores do gene e não com a doença. Todos esses cães devem ser testados geneticamente antes dos cruzamentos, para garantir que a doença de fato não apareça (cães afetados)

Criação de Alto Risco – Nesse cruzamento teremos parte dos filhotes normais e sem o gene para a doença, outra parte dos filhotes serão apenas portadores sem apresentarem a doença. Porém alguns filhotesterão a doença. Dessa maneira não recomendamos a reprodução desses animais.

Reprodução não é recomendada – Todos os filhotes serão geneticamente e clinicamente afetados.

Dna

Após isso, verifica-se: o padrão da raça, peso, altura, inserção da cauda e orelhas, andadura, mordedura, audição e contagem de dentes.

Exame Raio xDesenho da DentiçãoArcada dentária canina

Objetivamos cruzamentos de cães felizes e dentro de uma matilha saudável, de acordo com o padrão da Federação Internacional de Cinofilia – FCI, representando na Inglaterra pelo Kennel Club e no Brasil pela Confederação Brasileira de Cinofilia – CBKC.

Temos ainda, tão importante quanto a saúde, manter em cada raça a genética de comportamento.

Quando escolhemos comprar uma raça, escolhemos características esperadas de comportamento, qualidades, tamanho e tudo que envolve aquela raça.

Um desvio de comportamento pode ser tão difícil de lidar como com uma doença qualquer, e muitos donos acabam se desfazendo de seus cães devido a compra de um animal com desvio de comportamento.

Nós tiramos de reprodução qualquer animal com doenças genéticas ou que possam de alguma maneira comprometer a saúde e características de nossos cãezinhos.

*Nem todos os exemplares são testados geneticamente.

Fica a critério da equipe de reprodução e genética o estudo de como e quais exemplares serão testados.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*