Eliminando Maus Hábitos

Eliminando Maus Hábitos
Março 2, 2012 AlexKB

COM AS PESSOAS

ASSÉDIO SEXUAL

eliminando maus hábitos

Um cãozinho começa a entrar na puberdade a partir de 6 meses de idade e é normal que ele demonstre os primeiros sinais de interesse sexual aos membros de sua família-matilha, que provavelmente não serão nada agradáveis…

Ao menor sinal de que o cãozinho tentará se masturbar em você ou em alguma outra pessoa, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, separando-o imediatamente da “vítima”.

Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Aceite suas ações desde que ele invista contra seus próprios pertences (bicho de pelúcia, cobertor, almofada, brinquedo, etc.). É um pouco embaraçoso, mas devemos compreender e aceitar que ele tenha uma “válvula de escape” para suas necessidades fisiológicas.

CIÚMES EXAGERADO

Ciúmes

Quando um cãozinho rosna, late e ataca pessoas e/ou animais que se aproximam de seus donos, ele está defendendo a sua família-matilha no intuito de manter seus interesses e relacionamentos estáveis.

Nessas situações, reforce as regras de convívio mostrando à ele que você é o líder da matilha, e como tal é você quem decide quem deve se aproximar e conviver com o grupo na hora e no local que bem entender.

O procedimento adotado para reverter esse problema é associar a presença das “visitas indesejadas” pelo filhote como um momento divertido e prazeroso. Faça-o da seguinte maneira: não lhe dê atenção durante algumas horas que você estiver sozinho com ele e que anteceda a visita.

Quando as “visitas indesejadas” chegarem, brinque e dê bastante carinho ao cãozinho… se possível faça com que essas visitas também interajam com ele para que perceba que a presença deles só lhe trará benefícios.

Esse excesso de ciúmes também é muito freqüente entre os próprios membros da matilha. Nesse caso a punição geralmente é necessária e sempre deverá ser aplicada pela pessoa que o cão estiver protegendo (para que perceba a desaprovação do líder), e nunca pela pessoa com quem ele estiver enfrentando.

Repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

PULAR NAS PESSOAS

Pulando nas Pessoas

Todo cãozinho fica eufórico quando recebe a nossa atenção. O contato físico é muito importante durante essas trocas de carinho, mas devemos ter alguns cuidados para que isso não se torne inconveniente e perigoso, principalmente com filhotes de porte grande e gigante. Nunca o estimule a pular e se jogar nas pessoas para ganhar e retribuir carinho. Além de sujar, machucar, assustar e desagradar algumas pessoas, isso pode ser perigoso para o filhote e principalmente para pessoas idosas e crianças pequenas.

Quando o filhote saltar em suas pernas, vire seu corpo e ignore-o totalmente, não dando a atenção que ele tanto espera. Seja mais persistente e teimoso que ele, pois geralmente demora um pouco até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada. Não olhe, não grite, não chute… não corresponda em hipótese alguma aos seus pulos. Caso contrário esse comportamento indesejado será cada vez mais intenso e freqüente, pois ele já sabe como chamar sua atenção.A postura ideal para saudá-lo é inclinando o seu corpo na direção dele, cumprimentando-o calorosamente com as mãos. Dessa maneira ele perceberá que não é preciso se jogar em você para receber carinho e atenção.

LATIDOS EXCESSIVOS

Latidos excessivos

Um cãozinho começa a latir de uma maneira eficaz a partir do 2º mês de vida. Essa comunicação exagerada em um filhote pode ter vários significados, sendo os mais freqüentes: isolamento social, alarme e procura de uma resposta.

A principal causa de latidos excessivos em filhotes é por isolamento. Para controlá-lo, nunca dê atenção à esse tipo de latido. Isso significa: não fale, não grite, não abra a porta, não corresponda em hipótese alguma, ignorando-o totalmente até que ele se comporte.

Tenha paciência, pois às vezes demora um pouco até que ele se conforme que não será correspondido.

Se você não resistir e der uma bronca na esperança dele ficar quieto… logo perceberá que foi um tremendo erro. Provavelmente esse comportamento indesejado será cada vez mais intenso e freqüente, pois agora ele já sabe como chamar sua atenção até conseguir sua companhia, mesmo que seja para puni-lo.

MORDIDAS DOLORIDAS

mordidas

Todo cãozinho adora morder nossas mãos e pés para brincar, medir forças e chamar nossa atenção. Mordem também para diminuir a irritação gengival que ocorre durante a erupção dos dentes de leite e na troca pelos dentes permanentes.

Sempre que ele tentar morder seu corpo, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando imediatamente a parte do corpo mordida de seu alcance.

Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Caso ele persista, pare de interagir com ele vá embora. Aos poucos ele perceberá que essas mordiscadas não são bem aceitas e que nunca receberá carinho por esse comportamento.

Lembre-se de deixar a disposição brinquedos e objetos próprios para ele morder… estimule, elogie, agrade-o sempre que ele estiver mordendo e mastigando seus próprios brinquedos.

MENDICÂNCIA

mendicância

A nossa alimentação possui um odor irresistível para qualquer filhote, pois possui um cheiro bem mais atraente do que a sua alimentação correta (ração). Para que ele não fique latindo, chorando, te cutucando e fazendo aquela carinha de coitado enquanto estamos comendo, devemos separá-lo em outro cômodo durante nossas refeições.

Enquanto isso, ofereça o seu próprio alimento (ração) ou deixe-o entretido com algum brinquedo que ele adore.

Caso você queira educá-lo deixando-o livre no mesmo ambiente, nunca dê atenção a sua mendicância. Isso significa: não olhe, não fale, não grite, não corresponda em hipótese alguma, ignorando-o totalmente durante a refeição! Tenha paciência, pois às vezes demora um pouco até que ele se conforme de que não ganhará nada.

Se você não resistir e oferecer um pouco do seu alimento na esperança dele sossegar… logo perceberá que foi um tremendo erro. Provavelmente esse comportamento indesejado será cada vez mais intenso e freqüente, pois agora ele já sabe como conseguir sua comida.

URINAR POR EXCITAÇÃO

Desenho de cão urinando

Todo cãozinho fica alegre e eufórico quando pessoas amistosas e familiares chegam em casa. Quando essa recepção calorosa é correspondida imediatamente e na mesma intensidade, alguns filhotes não conseguem conter a alegria e acabam se urinando por excitação. Para que isso não se torne um transtorno permanente, deve-se simplesmente não dar atenção a toda aquela festa de recepção que ele sempre nos prepara. Por mais difícil que seja, ignore-o durante alguns minutos sempre que sair e chegar em casa.

Por fim, nunca dê bronca no filhote se ele fizer xixi de alegria enquanto estiver pulando em suas pernas para chamar sua atenção… isso o deixará mais confuso e ansioso, podendo até começar a se urinar de medo.

URINAR POR SUBMISSÃO

Desenho de cão

Um cãozinho muito sensível pode se urinar de medo ao sentir-se ameaçado pela presença de uma pessoa, principalmente se possuir um temperamento submisso e/ou tiver sofrido algum tipo de trauma (gritos, surras, sustos) associado a ela. Essa micção geralmente ocorre ao mesmo tempo em que ele treme todo o corpo e se deita numa posição submissa (cabeça e orelhas baixas ou de barriga para cima).

Para melhorar o relacionamento do filhote medroso com essa pessoa dominante, devemos ter os seguintes cuidados: não dar atenção à ele imediatamente após chegar em casa, aproximar-se dele sem movimentos bruscos, fazer carinho em seu peito sempre agachado ou sentado no chão, falar com ele em um tom amigável e não olhar diretamente nos seus olhos. Por fim, nunca dê bronca no filhote se ele fizer xixi com medo de você… isso agravará o problema e o seu relacionamento com ele nunca será sadio e harmonioso.

URINAR POR DOMINÂNCIA

Cão urinando

Se um cãozinho é criado como um “reizinho” sem limites, as chances dele não respeitar a família e se tornar um grande ditador marcando toda a casa (território) será muito grande.

Isso geralmente se agrava quando algum “intruso” como um novo cão, um bebê ou um parente vem morar no mesmo local.

O filhote começa a urinar em toda a casa, principalmente nos locais onde há mais cheiro desse estranho (cama, sofá, guarda-roupa), como demonstração de que ele se considera o “dono do pedaço”.

Diante desse problema, você precisa deixar muito claro que ele não é e não pode se considerar o líder da matilha. Restrinja seu espaço de trânsito livre e retome os cuidados iniciais de como levá-lo ao toalete.

Nesse processo de reeducação, não limpe a urina do filhote na presença dele nem coloque vários “banheiros” espalhados pelos cômodos da casa. Utilize punições despersonalizadas para extinguir esse comportamento indesejado, nunca chamando sua atenção diretamente quando urinar em locais inapropriados.

Evite usar somente produtos de limpeza comuns para limpar xixi fora do toalete. Termine a limpeza com um removedor de odor específico de uso veterinário para neutralizar o odor de sua urina.

EM CASA

MORDIDAS DESTRUTIVAS

Mordendo o sapato

Todo cãozinho utiliza a mastigação como um meio importante para investigar o ambiente onde vive a procura de novos alimentos. Mastiga também para se distrair e para diminuir a irritação gengival que ocorre durante a erupção dos dentes de leite e na troca pelos dentes permanentes.

A partir do 2º mês de vida estabeleça à ele “preferências” de mastigação.

Faça-o da seguinte maneira: nunca tolere que ele morda o que não lhe pertence: chinelos, sapatos, meias, calças, fios elétricos, fios de telefone, tapetes, móveis, paredes, portas, objetos de decoração, etc.

Se não possível evitar o acesso do filhote a alguns objetos que não lhe pertence e encontrá-lo no flagra, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando imediatamente o objeto de sua boca. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Caso o problema persista na sua ausência, surpreenda-o sempre que estiver destruindo algo com uma punição despersonalizada. Sem que note sua presença, faça um barulho inesperado e/ou atire algum objeto próximo a ele para assustá-lo no momento que estiver aprontando. Isso será válido somente se ele fugir de medo do local sem “destruir” seu objetivo.

Lembre-se de deixar a disposição brinquedos e objetos próprios para ele morder… estimule, elogie, agrade-o sempre que ele estiver mordendo e mastigando seus próprios brinquedos.

ROUBAR ALIMENTOS

Roubando alimentos

Todo cãozinho adora pegar e comer rapidamente alimentos saborosos que não lhe são oferecidos rotineiramente (principalmente os nossos) sempre que tiver oportunidade, independente do horário e da intensidade da fome.

Esse problema é muito freqüente em lares onde os proprietários oferecem um pouco de sua comida (petiscos) ao filhote durante as refeições.

Quando o alimento estiver ao seu alcance e os seus donos estiverem ausentes, ele certamente tentará pegá-lo por conta própria pois acredita ter o consentimento deles.

Para contornar essa situação, nunca devemos oferecer nada da nossa alimentação a ele, bem como manter todos os alimentos guardados em um local onde ele não tenha acesso.

Se não for possível evitar o acesso do filhote aos alimentos e encontrá-lo no flagra, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando imediatamente a comida de sua boca. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Caso o problema persista na sua ausência, surpreenda-o sempre que estiver tentando roubar comida com uma punição despersonalizada. Sem que note sua presença, faça um barulho inesperado e/ou atire algum objeto próximo a ele para assustá-lo no momento que estiver aprontando. Isso será válido somente se ele fugir de medo do local sem “comer” seu objetivo.

REMEXER O LIXO

remexendo o lixo

O lixo doméstico é uma fonte de exploração (odores e sabores) muito interessante para um cãozinho. Essa exploração é muito perigosa porque freqüentemente acabam ingerindo embalagens, objetos e alimentos impróprios que podem intoxicá-lo, bem como provocar uma irritação, perfuração e/ou obstrução de seu sistema digestivo.

Esse problema é mais freqüente em lares onde os proprietários oferecem um pouco da sua comida (petiscos) ao filhote durante as refeições.

Quando o lixo contendo restos de alimentos estiver ao seu alcance e os seus donos estiverem ausentes, ele certamente tentará pegá-los por conta própria pois acredita ter o consentimento deles. Para contornar essa situação, não devemos oferecer absolutamente nada da nossa alimentação a ele, bem como manter o lixo muito bem tampado em um local onde ele não tenha acesso.

Se não for possível evitar o acesso do filhote ao lixo e você encontrá-lo no flagra, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando-o imediatamente do local. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Caso o problema persista na sua ausência, surpreenda-o sempre que estiver fuçando o lixo com uma punição despersonalizada. Sem que note sua presença, faça um barulho inesperado e/ou atire algum objeto próximo a ele para assustá-lo no momento que estiver aprontando. Isso será válido somente se ele fugir de medo do local sem “comer” seu objetivo.

SUBIR EM MÓVEIS

Deitado no sofá

Esse problema é muito freqüente em lares onde os proprietários permitem que o filhote brinque e descanse encima desse lugares desde sua chegada ao novo lar.

Quando esses móveis grandes e aconchegantes (camas, sofás, poltronas, etc.) estiverem ao seu alcance e os seus donos estiverem ausentes, ele certamente tentará desfrutá-los por conta própria pois acredita ter o consentimento deles.

Quando for levá-lo aos cômodos da casa que possuem os “móveis proibidos”, brinque e exercite-o supervisionando todo o tempo no chão, não tolerando que ele pule e tente subir nos móveis.

Caso isso aconteça, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando-o imediatamente do local. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Caso o problema persista na sua ausência, surpreenda-o sempre que estiver em cima dos móveis com uma punição despersonalizada. Sem que note sua presença, faça um barulho inesperado e/ou atire algum objeto próximo a ele para assustá-lo no momento que estiver aprontando. Isso será válido somente se ele “fugir” de medo do local proibido.

ESTRAGAR O JARDIM

Estragando o Jardim

Todo cãozinho adora cavar o jardim para se divertir, se exercitar, preparar uma “cama natural”, esconder seus brinquedos e alimentos e chamar sua atenção.

Para contornar essa situação, nunca devemos deixá-lo sozinho nesses locais até que ele entenda muito bem todos os seus direitos e deveres.

Quando for levá-lo ao jardim, brinque e exercite-o supervisionando todo o tempo. Mantenha-o entretido com alguma coisa interessante que não faça parte do jardim (um brinquedo, petisco, ossinho, etc.)

Se mesmo assim ele preferir cavar o jardim, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando-o imediatamente do local. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada.

Caso o problema persista na sua ausência, surpreenda-o sempre que estiver destruindo o jardim com uma punição despersonalizada. Sem que note sua presença, faça um barulho inesperado e/ou atire algum objeto próximo a ele para assustá-lo no momento que estiver aprontando. Isso será válido somente se ele fugir de medo do local sem “destruir” seu objetivo.

COMER AS PRÓPRIAS FEZES

Fezes

Inicialmente devemos consultar um médico veterinário para verificar se esse comportamento está relacionado com alguma patologia (distúrbios no sistema digestivo, doenças nutricionais, endoparasitas, etc.).

Caso não seja constatado nenhum problema de saúde no filhote, esse comportamento indesejado pode estar ocorrendo por: imitação, tédio, medo ou para chamar sua atenção. Um cãozinho pode comer suas próprias fezes imitando o instinto materno de ingerir as necessidades dos filhotes a fim de manter o ambiente e os “bebês” sempre limpos, que geralmente persiste até o desmame (um mês de vida). Isso também pode ocorrer pela observação e imitação do nosso comportamento rotineiro de limpar as fezes dele no ambiente onde vive.

Ele pode apresentar esse comportamento por diversão, principalmente quando fica muito tempo sozinho em um espaço pequeno e sem brinquedos adequados. Nesses casos o cãozinho interage com as suas fezes como se fosse brinquedos até comê-los parcialmente ou totalmente.

Acontece também em situações de medo, principalmente quando você encontra fezes em locais indesejados e o pune por isso. Ele acaba associando erroneamente a presença das fezes como um pré-requisito para você se irritar com ele, e conclui: “se eu comer as minhas fezes o meu dono não brigará comigo”.

Muitas vezes um filhote tem esse tipo de comportamento simplesmente para chamar sua atenção, mesmo que seja para puni-lo. Principalmente se o filhote fica muito tempo sozinho e você só dá atenção imediata a ele quando ele ameaça brincar e comer suas próprias fezes.

Independente das causas que estejam levando o cãozinho a comer suas próprias fezes, tome os seguintes cuidados:

  • Nunca limpe as fezes na presença dele;
  • Nunca deixe-o sozinho por muito tempo em locais apertados e sem brinquedos adequados;
  • Nunca chame sua atenção quando estiver fazendo suas necessidades em locais indesejados;
  • Nunca demonstre a ele que os seus dejetos podem ser utilizados para chamar a nossa atenção.

COMER FEZES DE OUTROS ANIMAIS

As fezes de outros animais podem ser uma fonte de alimento interessante para um filhote por apresentar odor, sabor e consistência característica, além de vários nutrientes que não foram absorvidos. É importante consultar um profissional para verificar se o cãozinho não possui nenhum problema de saúde, pois esse comportamento pode estar relacionado com algumas patologias (distúrbios no sistema digestivo, doenças nutricionais, endoparasitas, etc.).

Para contornar essa situação, simplesmente não devemos permitir que o filhote tenha acesso as fezes de outros animais (caixa de areia sanitária de gatos, lixeira de banheiro, área de pastagem, etc.). Se não for possível evitar o acesso do filhote com fezes de outros animais e você encontrá-lo no flagra, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um NÃO bem sério) e uma postura dominante, tirando imediatamente as fezes de sua boca com uma luva. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e comporte-se da maneira desejada. Caso o problema persista na sua ausência, você deverá surpreendê-lo sempre que estiver tentando comer as fezes com uma punição despersonalizada. Sem que note sua presença, faça um barulho inesperado e/ou atire algum objeto próximo a ele para assustá-lo no momento que estiver aprontando. Isso funcionará somente se ele fugir de medo do local sem conseguir seu objetivo.

BRIGAR COM OUTROS ANIMAIS

Briga de cães

Se você já possuia um cão adulto, trouxe um novo filhote para casa e eles não estão se entendendo muito bem, provavelmente isto está ocorrendo porque ainda está indefinida a posição que esse novo membro ocupará na família-matilha. As brigas só acabarão quando a hierarquia estiver muito bem estabelecida, sendo nosso dever como líder não deixá-los mais confusos.

Um erro básico que devemos evitar é que sempre após apartarmos uma briga, inconscientemente socorremos primeiro o mais fraco e submisso, por geralmente estar mais ferido. Agindo assim, o problema certamente se agravará, pois estaremos incentivando o cão dominante a brigar e a bater mais no cão submisso, só para demonstrar que ele é o mais forte e por isso toda a atenção especial sempre deve ser para ele. Privilegiando o cão dominante na hora de receber primeiro a atenção, o carinho, os petiscos e a ração, ele se sentirá confiante o suficiente para não precisar se impor com violência no cão menor para demonstrar sua posição superior. Por mais injusto que isso possa parecer para nós, essa é a maneira mais segura de preservar a saúde do cão mais fraco e manter o equilíbrio e a harmonia entre todos os membros (caninos ou não) que constituem a família-matilha.

DEFECAR E URINAR EM LOCAIS INDESEJÁVEIS

Urinando

Esse problema é muito freqüente em lares onde os donos permitem o trânsito livre do filhote em um espaço muito grande desde sua chegada. O cãozinho não consegue definir onde será o seu banheiro e faz suas necessidades em qualquer lugar que se sentir apertado.

Para reverter essa situação, primeiro devemos restringi-lo todo o tempo em um espaço menor, isto é, ele precisa aprender e memorizar muito bem para onde se deve dirigir quando quiser descansar, alimentar-se e principalmente fazer suas necessidades (cama, copa e banheiro).

Em seguida, estabelecemos uma rotina levando-o ao toalete nos momentos mais previsíveis (ao acordar, após comer, após atividades físicas, etc.) vigiando-o discretamente até que ele acerte o lugar. Imediatamente após o ato, devemos agradá-lo e elogiá-lo calorosamente. Nesse momento de festa, você também pode dar um petisco canino.

Observando que ele está correspondendo as suas orientações, aumente gradativamente o seu espaço de trânsito livre desde que se lembre de retornar ao seu cantinho sempre que se sentir assustado, cansado e principalmente apertado.

Durante essa fase de reeducação, quanto maior for a dedicação em acompanhá-lo até o banheiro, mais precoce será o aprendizado. Com um pouco de tempo e paciência, você observará resultados animadores em algumas semanas.

Caso você não possua muito tempo disponível, mantenha o ambiente onde ele fica, forrado de jornal, exceto a área limpa (comedouro, bebedouro e cama). Querendo ou não ele fará suas necessidades no jornal, e com o passar das semanas ele irá procurar eliminar seus desejos nesse material que foi reeducado.

Percebendo que o jornal é sua única refência de banheiro, reduza gradativamente a área forrada de jornal até deixar uma única folha aberta no chão. Se houver uma recaída e ele começar a errar muito, retome os cuidados iniciais.

Considerações importantes:

  • Não limpe a urina e as fezes do filhote na presença dele, nem coloque vários banheiros espalhados pelos cômodos da casa;
  • Utilize punições despersonalizadas para extinguir esses comportamentos indesejados, nunca chamando sua atenção diretamente quando urinar e defecar em locais inapropriados;
  • Evite usar somente produtos de limpeza comuns para limpar xixi e fezes feitos fora do toalete;
  • Termine a limpeza com um removedor de odor específico de uso veterinário para neutralizar o odor de seus dejetos.

NA RUA

PUXAR A GUIA

Cão Guia

Esse comportamento indesejado e muito comum geralmente ocorre pela somatória de vários fatores: o cãozinho fica super eufórico com a idéia, possui disposição de sobra, pensa que vai liderar o passeio levando-o para onde quiser e acha que o esforço de puxar um peso extra durante a caminhada é normal.

Esse problema se torna ainda mais complicado nos casos de filhotes hiperativos e de grande porte, podendo ser controlado da seguinte maneira: em primeiro lugar controle a agitação e a ansiedade do filhote gastando bem suas energias com alguma brincadeira antes do passeio. Ao sair com o cão na rua não ande com a guia esticada, pois sempre que ele tentar arrastá-lo será preciso dar um tranco seco na guia para assustar, parando de andar imediatamente. Agindo dessa forma ele perceberá que é você que conduz o passeio.

Uma outra maneira de lidar com esse problema é mudar de direção repentinamente sempre que o filhote tentar andar na sua frente. Caminhando dessa maneira imprevisível, ele terá que prestar muito mais atenção aos seus movimentos para não levar sustos a todo momento.

ATRAVESSAR A RUA SOZINHO

Cão na faixa de pedestre

Quando um cãozinho sente-se seguro e confiante o suficiente para explorar as ruas por onde passeia com seu dono, é provável que ele tente tomar a iniciativa de caminhar para onde bem entender querendo inclusive atravessar a rua sozinho.

Sempre que ele ameaçar ir para rua sozinho, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, tirando-o imediatamente do local com um tranco seco na guia. Seja mais persistente e teimoso que o filhote até que ele entenda sua desaprovação e se recuse a atravessar a rua sem nenhum comando.

Corresponda a toda hora a atenção do cãozinho quando estiverem andando juntos na calçada e não se esqueça de elogiá-lo, agradá-lo e enchê-lo mais ainda de carinho sempre que induzi-lo a atravessar a rua sozinho e ele se recusar.

PERSEGUIR BICICLETAS, MOTOS E CARROS

Perseguindo motocicletas

Todo cãozinho possui instinto predatório e territorial de caçar tudo que estiver em movimento e ao seu alcance, sendo que a intensidade desse hábito depende basicamente de suas características raciais.

Sempre que ameaçar perseguir algum veículo, repreenda-o severamente com um tom de voz forte (um “NÃO” bem sério) e uma postura dominante, parando-o imediatamente com um tranco seco na guia. Seja mais persistente e teimoso que o filhote, até que ele entenda sua desaprovação e se recuse a perseguir qualquer coisa em movimento.

Corresponda a atenção do cãozinho quando estiverem andando juntos na calçada e não se esqueça de elogiá-lo, agradá-lo e enchê-lo mais ainda de carinho sempre que ele manter o autocontrole nessas situações.

AVANÇAR EM PESSOAS E ANIMAIS DESCONHECIDOS

Cão Bravo

Se durante o período de socialização o filhote não tiver muita convivência com várias pessoas e animais, provavelmente ele não desenvolverá um relacionamento muito amistoso com estranhos na rua, ficando muito agressivo ou medroso nesses encontros casuais.

Para que esse transtorno não se torne rotineiro, deve-se agir da seguinte maneira: não deixe a guia tensa nem demonstre nervosismo ao cruzar com pessoas e cães desconhecidos, caso contrário, o cão ficará ainda mais nervoso e ansioso, interpretando esses sinais como um perigo eminente para ele e seu dono.

Além desse cuidado, tente distraí-lo com um petisco, um brinquedo ou mesmo um carinho, sempre que deparar-se com animais e pessoas estranhas. Dessa forma, o cãozinho associará a presença deles como um momento divertido e não como uma situação estressante. Com o tempo, ele nem dará atenção aos estranhos, pois saberá que a presença deles só lhe trará benefícios.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*