Cuidados Reprodutivos

Cuidados Reprodutivos
Dezembro 9, 2011 AlexKB

Fecundação

O planeta dos filhotes trabalha em parceria com os melhores canis do Brasil.

Trabalhamos com uma equipe de veterinários que é totalmente voltada a área de reprodução canina.

São elas que fazem o acompanhamento do fenótipo ( características de aparência dos cães), estudo de genética de pedigree e todos os cuidados reprodutivos com as diversas raças.

A equipe faz a seleção do melhor macho pra fazer a cobertura com aquela fêmea e somente após feito isso se iniciam os cruzamentos.

Em primeiro lugar determina-se quando a fêmea entrou no cio.

A partir daí iniciam-se uma série de procedimentos para que se possa determinar o momento correto da ovulação da fêmea pra que se iniciem as fertilizações.

Isso é o que chamamos de manejo reprodutivo.

MANEJO REPRODUTIVO

As vantagens de se trabalhar com o manejo reprodutivo são as seguintes:

  • Aumentar ataxa de fertilidade ;
  • Maximizar a utilização do macho ;
  • Obter uma maior precisão da provável data do parto ;
  • Diagnosticar alterações que possam ocorrer durante a gestação ;
  • Obtenção de maior número de filhotes vivos e viáveis;

CICLO ESTRAL EM CADELAS

Ciclicidade

A cadela é uma fêmea monoéstrica que entra no cio, em média, a cada seis meses. Existem algumas que dependendo da raça ou linhagem podem ciclar apenas uma vez ao ano e outras a cada 4 a 5 meses.

Puberdade

O surgimento do primeiro cio, ou puberdade, pode ocorrer a partir de seis meses de idade em fêmeas de raças pequenas ou ao redor de oito a nove meses em fêmeas de raças médias e maiores. Algumas podem ter o primeiro cio somente após 24 meses de idade.

Fases do ciclo estral

As cadelas tem o ciclo estral dividido em quatro fases distintas: proestro, estro, anestro e diestro.

PROESTRO

A fase de proestro é quando a cadela começa a apresentar secreção sero sanguinolenta pela vulva, tem a mesma edemaciada e atrai machos, porém não os aceita. É o que denomina-se de “cio”; Ocorre uma variação muito grande de dias podendo ser de apenas 3 ou até de 21 dias, uma das razões da existência de diferença entre o cio de uma e outra cadela. A média é de 9 dias.

CARACTERÍSTICAS DE PROESTRO

  • Edema de vulva
  • Descarga sangüínea.
  • A citologia vaginal é predominantemente de células parabasais.

COMPORTAMENTO

  • A cadela é agitada e secreta feromonas.
  • É agressiva com o macho.
  • Torna-se mais passiva no começo do estro.

vulva

Comparativo de vulva de cadela que não está no cio e depois quando está no cio.

Vulva de cadela no cio

Vulva de cadela no cio

 

ESTRO

No estro ela aceita a presença do macho e o acasalamento. Nesta fase ocorre a ovulação, maturação oocitária e a fertilização. A média de duração é de 6 dias.

CARACTERÍSTICAS DE ESTRO

  • Aumenta o edema de vulva.
  • Descarga vulvar será ligeiramente cor-de-rosa.
  • Algumas fêmeas terão uma descarga sangrenta no estro que é normal.
  • Na citologia vaginal haverá uma concentração elevada de células corneificadas.

COMPORTAMENTO

A cadela procura o macho, fica rodeando, levanta a região pélvica, move a cauda para o lado e aceita a cópula.

Cio do “lobo” – (cio dividido)

Apresenta o cio aparentemente normal mas, não ocorre ovulação. Seguido por outro o cio 2-6 semanas mais tarde (cio ovulatório).

Comportamento de cadela em estro

Comportamento de cadela em estro

Comportamento de cadela em estro

DIESTRO

Após o estro ela terá um período dediestrocaracterizado por altos níveis de progesterona que auxiliam na manutenção da gestação caso ela tenha acasalado. Este período tem duração de 60 dias.

CARACTERÍSTICAS DE DIESTRO

  • Diminuição do edema vulvar
  • Não apresenta descarga vulvar
  • A citologia vaginal não apresenta células queratinizadas e apresenta células brancas do sangue em grande quantidade.

COMPORTAMENTO: Não aceita o macho

ANESTRO

Finalmente ela entra na fase de anestroe assim permanecerá por 120 dias (as cadelas que ciclam a cada seis meses) Esta fase é caracterizada por uma inatividade hormonal até a prepação para o próximo estro.

CARACTERÍSTICAS  DE ANESTRO

  • Período de inatividade ovariana
  • Nenhuma descarga vaginal
  • Retorno ao cio por volta dos 4 meses

Gráfico de comportamento canino

DIAGNOSTICO DE CIO

Existem quatro etapas para o diagnóstico do melhor momento para o cruzamento das fêmeas.

A primeira delas é determinada olhando os sinais clínicos da fêmea. Verificamos se ela está sangrando, se a vulva está inchada, e se ela está ou não receptiva ao macho.

A segunda etapa é determinado acompanhando a fase estral da cadela através de lâminas de microscópio de citologia vaginal.

CITOLOGIA VAGINAL

É um método que indica em qual fase do ciclo estral a cadela se encontra.

A análise e resultado são imediatos.

INÍCIO DO PROESTRO

Início de Proestro

PROESTRO

ProestroProestroProestro

INÍCIO ESTRO

Início Estro

ESTRO

Estro

Estro

DIESTRO

DiestroDiestroDiestro

ANESTRO

AnestroAnestro

A terceira etapa é a vaginoscopia

A vaginoscopia é uma técnica que permite a visualização da mucosa vaginal das cadelas nas diferentes fases do ciclo estral. Ela nos permite verificar o “status” reprodutivo da fêmea bem como se existe alguma alteração.

Este procedimento também auxilia no manejo reprodutivo.

Vaginoscopia

E a quarta e última etapa, considerada a de melhores resultados no acerto da data da ovulação da cadela que é a dosagem hormonal de progesterona.

A progesterona é um hormônio esteróide que é produzido na cadela desde o início do cio até 60 dias após o término do mesmo ou durante a gestação.

Os diferentes níveis séricos deste hormônio nos auxiliam no manejo reprodutivo indicando uma provável data de ovulação e o melhor momento para que seja feita a inseminação.

Observação: Nunca pode-se levar em conta apenas um fator para decidir este momento de acasalar ou inseminar

Na tabela abaixo está descrito como este manejo reprodutivo pode ser realizado baseado nos níveis de progesterona (ng/ml)

Tabela de Progesterona

Fonte: Crusco, S. E., 2009

Na tabela abaixo estão os eventos relacionados entre os níveis séricos de progesterona e a ovulação.

Tabela de níveis de ovulação

Depois de determinado o momento certo da ovulação, temos que verificar a qualidade do sêmem do macho.

O sêmen é composto pelos espermatozóides e líquido seminal. Os espermatozóides são produzidos nos testículos e maturados e armazenados nos epidídimos.

Espermograma é o nome que se dá ao exame utilizado para avaliar as condições do sêmen.

O volume do sêmen varia conforme a raça do cão, tipo de colheita e algumas alterações do sistema reprodutivo. Varia de 0,8 até ao redor de 70 ml ou mais.

A coloração normal deve ser branco opalescente.

A motilidade espermática, ou seja, quantos dos espermatozóides estão se movimentando em linha reta deve ser acima de 70% e a velocidade com que eles andam (vigor) deve ser no entre 3 a 4 no mínimo, em uma escala graduada de 0 a 5.

A concentração, ou seja, o número de espermatozóides no ejaculado total deve ser acima de 200 milhões para que o cão, em princípio, seja considerado fértil neste aspecto.

Os espermatozóides devem ter no máximo 20% de defeitos ou alterações.

Amostra de sêmen

Amostra de sêmen puro

O sêmen também deve ser analisado quanto a morfologia e funções dos espermatozóides. Para isso existem diversas colorações específicas com diferentes metodologias.

MONTA NATURAL / INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

O primeiro método de fecundação é pela monta natural.

MONTA NATURAL

Monta NaturalMonta Natural

E o segundo método de fecundação se dá por realização de inseminação artificial.

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

A inseminação artificial é um processo pelo qual auxiliamos os cães que não conseguem fazer a monta natural para se reproduzir.

Os principais fatores que levam aescolha da inseminação artificial são:

  • Diferença de peso e tamanho
  • Agressividade
  • Falta de libido (interesse)
  • Conformação anatômica da raça
  • Opção de manejo reprodutivo
  • Distância geográfica

Na figuras abaixo estão ilustrados exemplos de raça braquicefálica (Boston Terrier) em que pode ser utilizada a inseminação artificial.

Monta Natural

A fêmea precisa estar em cio, momento este diagnosticado com auxílio de observação de sinais e sintomas, vaginoscopia, ultrasonografia dos ovários, citologia vaginal e dosagens hormonais. O sêmen do macho é colhido manualmente, analisado e imediatamente introduzido na fêmea.Colheita do Sêmen

O sêmen de cães normalmente é colhido com manipulação. O pênis é estimulado, quando entra em ereção é rotacionado 180°C e então o cão ejacula.

Para entendermos melhor como funciona a inseminação, aqui estão ilustrações no aparelho genital masculino:

Aparelho Genital Masculino

  1. Uretra
  2. Ânus
  3. Músculo
  4. Retractor do pênis
  5. Bulbo do pênis
  6. Corpo cavernoso
  7. Músculo ísquio-cavernoso
  8. Cauda do epidídimo
  9. Escroto
  10. Testículo
  11. Cabeça do epidídimo
  12. Prepúcio
  13. Orifício externo da uretra
  14. Parte alongada da glande peniana
  15. Bulbo da glande Pênis
  16. Canal inguinal
  17. Canal deferente
  18. Bexiga
  19. Ureter

E do aparelho genital feminino:

Aparelho Genital Feminino

  • Ureter
  • Bexiga
  • Canal deferente
  • Próstata
  • Músculo uretral
  • Bulbo do pénis
  • Músculo ísquio-cavernoso
  • Músculo retractor do pénis
  • Interior do prepúcio
  • Parte alongada da glande peniana
  • Orifício externo da uretra

Desenho do local onde o sêmen é depositado

A figura acima demonstra o local que é depositado o sêmen quando é realizada inseminação artifical intravaginal com sêmen puro ou resfriado. O sêmen é injetado na vagina anterior.

Demostração de inseminação

As chances de sucesso (prenhez positiva) atingem 90%

Monta

Após o nascimento dos filhotes a mesma equipe do planeta dos filhotes verifica a ninhada e acompanha até 60 dias, até que os filhotes são entregues. Posteriormente o acompanhamento é feito por  fotos, relatos e pessoalmente pra aqueles clientes que mantiverem contato.

Assim temos a certeza sobre o resultado daquele cruzamento, tanto analisando beleza, características de padrão da raça, bem como qualquer problema genético que possa aparecer nesse caminho.

Caso qualquer tipo de problema apareça, é feito um trabalho com os adultos (macho e fêmea) pra determinar qual deles transmite geneticamente o gene pra aquela doença.

O cãozinho que transmitiu o problema é castrado e então procuramos em nosso banco de dados um novo lar pra esse cãozinho.

Em S.O.S você conhecerá um pouco mais dos trabalhos com ongs e doações de cães de raça.

E dessa maneira conseguimos cada vez mais garantir qualidade em todo nosso trabalho realizado.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*